Felipe Neto criou uma frente de advogados para defender gratuitamente quem criticar Bolsonaro

Felipe Neto está organizando uma equipe de advogados para dar defesa gratuita a todos aqueles que foram investigados ou processados ​​por se expressarem contra o presidente Jair Bolsonaro ou por manifestarem uma ideia e criticar alguma autoridade política.

Qualquer indivíduo que não tenha advogado constituído poderá usufruir do serviço, que se chamará “Cala a Boca Já Morreu” e será integrado pelos escritórios de André Perecmanis, Augusto de Arruda Botelho, Beto Vasconcelos e Davi Tangerino.

O youtuber Felipe Neto, afirma que “O Cala-Boca Já Morreu será um grupo da sociedade civil que vai lutar contra o autoritarismo e que será movido pelo princípio de que quando um cidadão é calado no exercício do seu legítimo direito de expressão, a voz da democracia se enfraquece. Não podemos nos calar. Não podemos deixar que nos calem e não vamos”.

A polícia do Rio de Janeiro intimou Felipe Neto no dia 15 (segunda-feira) para depor em uma investigação por suposto “crime contra a segurança nacional” sob o argumento de que ele se referiu a “genocida” em seu relato no Twitter contra Jair Bolsonaro.

A investigação foi aberta a pedido do vereador Carlos Bolsonaro que protocolou uma petição denunciando o suposto crime. O delegado Pablo Sartori, que está no comando das investigações, tem um histórico de atos favoráveis à família Bolsonaro.

Contudo, a Justiça suspendeu as investigações contra Felipe Neto, que comemorou a decisão em uma postagem no Instagram dizendo que "Vitória! Justiça suspendeu a investigação! Não passarão".

Siga @noticiasdaadvocacia para ficar atualizado sobre todas as últimas notícias e não esqueça de compartilhar o conteúdo nas redes sociais com a hashtag #noticiasdaadvocacia!

3 visualizações